Joaquim Chissano
Político e general moçambicano, de nome completo Joaquim Alberto Chissano, nascido em 1939. Foi um dos fundadores da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), em 1962. Ocupou a pasta dos Negócios Estrangeiros (1975-1986), sob a presidência de Samora Machel, tornando-se presidente da República, em 1986, após a morte deste. A 4 de Outubro de 1992 assinou um acordo de paz, juntamente com Afonso Dhlakama, líder da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), pondo termo a dezasseis anos de guerra civil no país. Nas eleições presidenciais de 1994 foi investido como presidente da República, cargo para o qual foi reeleito nas eleições de 1999. Nesse mesmo ano, tornou-se Presidente da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e Vice-Presidente da Socialista Internacional. Em 2004 sucedeu-lhe no cargo de presidente da República Armando Guebuza, secretário-geral da FRELIMO, que venceu as eleições por maioria.

É membro de honra de várias organizações e recebeu vários prémios no país e no estrangeiro. Recebeu o título Honoris Causa em Economia atribuído pela Universidade de Coimbra (1999).
30-12-2014