A Plural Editores nasceu há, precisamente, 10 anos. Uma década intensa, de trabalho contínuo ao serviço da Educação.
A 15 de Outubro de 2002, nasceu uma nova editora moçambicana – a Plural Editores. Apresentou-se, desde a primeira hora, como uma editora fundamentalmente focada na Educação.

Na altura, lançavam-se as bases para o desenvolvimento do novo sistema de ensino moçambicano, tornando-se evidente a importância de proporcionar aos professores e alunos os melhores recursos didáctico-pedagógicos. Por isso, a Plural Editores apontou como principal objectivo a edição de materiais educativos e técnicos de excepcional qualidade – uma década depois, pode-se dizer, como toda a objectividade, que esse objectivo está conseguido, sendo hoje a Plural Editores uma das mais importantes editoras moçambicanas.

O catálogo da Plural Editores inclui mais de cem títulos publicados e apresenta-se com uma crescente abrangência editorial. Aos manuais escolares e auxiliares de ensino junta-se a mais vasta gama de dicionários, bem como a literatura infantil e infantil-juvenil, livros jurídicos, títulos de carácter académico e técnico.

De acordo com o seu Director Geral, Miguel Milheiro, “o que de facto é marcante é verificar a presença da Plural Editores nas escolas: todos os dias, em todo o país, milhares de professores e alunos usam os nossos manuais e auxiliares escolares para desenvolverem a sua actividade docente, no caso dos professores, e para estudarem e consolidarem as aprendizagens, no caso dos alunos.” O responsável da Plural Editores, garante ainda “que a confiança que uns e outros depositam no nosso trabalho é o mais gratificante e o que maior alegria nos proporciona”, e sublinha a importância que tem, para esta década de sucesso, “o envolvimento dos autores, ilustradores, revisores e demais profissionais moçambicanos” neste projecto. “Se estes dez anos foram bons, com o empenhamento de todos, os próximos serão ainda melhores, pois vamos aprofundar o nosso trabalho editorial nas diferentes áreas em que trabalhamos, editando mais, melhor e em línguas nacionais também.”.
30-12-2014